Governança Corporativa > Compliance e Gestão de Riscos

Gestão de riscos corporativos

GRI 102-15

O Conselho de Administração da Kepler Weber segue as recomendações do Código Brasileiro de Governança Corporativa para companhias abertas no que se refere à gestão de riscos. Deve zelar pelo cumprimento da Política aprovada, a fim de salvaguardar os interesses e a longevidade da companhia. Esta atuação está alinhada com a Política para Transações com Partes Relacionadas.

A Kepler Weber possui a Política de Gerenciamento de Riscos, aprovada pelo Conselho de Administração. Nela constam as diretrizes de controles e os respectivos procedimentos, cujos indicadores são acompanhados pela Comissão Interna de Gerenciamento de Riscos e pelo Comitê Estratégico de Compliance e Governança Corporativa. 

A companhia investe em mecanismos para aprimorar os seus processos, como plataformas de gestão e treinamentos, e fortalecer a cultura de prevenção ao risco. A Diretoria Executiva discute mensalmente com o Conselho de Administração os indicadores de performance e as estratégias de curto e médio prazo. 

  • A companhia tem seus processos de auditoria interna executados por consultoria externa. Mediante a aprovação do Conselho de Administração, e em linha com as melhores práticas de mercado, a cada ano são definidas as demandas da companhia, considerando a meta de aprimoramento contínuo na mitigação de riscos e compliance. No período deste relatório, a consultoria Grant Thornton, responsável pela auditoria interna para os ciclos 2018 e 2019, apresentou ao Conselho de Administração os resultados e os respectivos planos de ação, os quais terão sua efetividade validada em ciclos posteriores.

     

Política de riscos

GRI 102-15

A cada ano o CA aprova o escopo das atividades de auditoria interna, sendo que em 2019 os itens contemplados foram: ciclos de vendas, compras, montagem, gestão de pessoas, financeiro e tesouraria, controladoria e tecnologia da informação. No ciclo de Gestão de Pessoas, a auditoria interna verifica o funcionamento do Canal de Ética e Comitês Disciplinar e de Integridade. Compete à área de Auditoria Interna zelar pela aderência dos processos internos aos procedimentos da companhia.

As políticas e gerenciamento de riscos visam proteger a companhia. Para tanto, é realizado um trabalho exaustivo com foco no aprimoramento das práticas de análise dos cenários em que a Kepler Weber está inserida para definir os limites aceitáveis de exposição e, ao mesmo tempo, estabelecer níveis apropriados de controle e segurança. Este exercício requer agilidade para refletir as constantes variações nas condições de mercado com possível impacto sobre a companhia. Por esta razão, as políticas de gerenciamento de riscos da Kepler Weber estão em fase de revisão para subsequente aprovação do CA.

Por meio de normas e procedimentos, compartilhados por todos os colaboradores, a Kepler Weber estabelece o controle tempestivo sobre os riscos de crédito, mercado, operacional e de liquidez. Para tanto, desenvolve as seguintes estratégias de gerenciamento.

  • Para as aprovações de crédito nas operações com recursos próprios de seus clientes, as avaliações levam em conta, principalmente, os aspectos relacionados a estrutura financeira com base em referências bancárias e comerciais, a capacidade de pagamento e o histórico de relacionamento do cliente junto à companhia. As análises são aprovadas pelo Comitê de Crédito.

    O cuidado na análise e aprovação do crédito nas operações com recursos próprios pode ser visualizado no fato de que a Kepler Weber não tem histórico de elevada inadimplência, pois os valores relacionados à perspectiva de perdas pela não recuperabilidade de ativos financeiros são considerados baixos.Nos casos de vendas financiadas, as operações de crédito são realizadas por meio de agentes financeiros, que aplicam políticas de crédito próprias para as suas linhas de financiamentos, as quais já contemplam o risco.

    As operações de comércio exterior normalmente são liquidadas até a data do embarque ou suportadas por cartas de crédito irrevogáveis, garantidas por banco de primeira linha, liquidáveis contra documentos de embarque. 

  • O grupo Kepler Weber atua no mercado externo e suas vendas são utilizadas como lastro nas operações com moeda estrangeira, condicionando a companhia à volatilidade da taxa de câmbio sobre os ativos e passivos atrelados a moedas estrangeiras, em especial ao dólar norte-americano. A companhia possui Procedimento de Gerenciamento dos Riscos de Mercado, evitando uma exposição a flutuações de valores de mercado e operando com instrumentos que permitem o controle de riscos.

    O aço é a principal matéria-prima para a fabricação dos produtos da companhia e, por isso, é um componente do risco de mercado. As flutuações na oferta e nos preços, em âmbito nacional e internacional, podem gerar impactos nos custos operacionais e produtos comercializados.

    A prevenção aos riscos de mercado compreende medidas como: repasse de aumento para os preço de produtos; redução de custos operacionais; busca de potenciais e novos fornecedores, sempre observando os movimentos de estoques regulatórios e o consumo global; e monitoramento e manutenção dos estoques de matéria-prima para três meses de produção, estimados na carteira de pedidos. Por sua vez, as relações com os fornecedores são regidas por padrões internacionais de compliance e produtividade, buscando minimização de riscos e custos.

     

  • Para gerenciar os riscos, diretos e indiretos, decorrentes de causas diversas no âmbito dos processos produtivos – quadro funcional, tecnologia da informação, infraestrutura e fatores regulatórios relacionados ao setor de atuação –, a companhia aplica a gestão de cenários de impacto e vulnerabilidade, com limites pré-estabelecidos.

    Adicionalmente, é relevante mencionar que a Kepler Weber conquistou sua liderança de mercado no setor de armazenagem de grãos, investindo na estratégia de distinguir seus produtos com lançamentos e inovações constantes, protegidos por patentes e apoiados por uma sólida experiência na área de Engenharia.  As pesquisas evoluem tanto para aprimorar projetos estruturais quanto no desenvolvimento e testes de novos materiais.

    Em relação à regulação, a falta de uma norma brasileira no desenvolvimento de silos metálicos foi superada pela utilização de normas internacionais. A iniciativa se apoiou em sólidos referenciais técnicos decorrentes da longa experiência da área de Engenharia da companhia. O conhecimento acumulado em cálculos estruturais permitiu projetar e construir equipamentos adequados para instalação, inclusive, em zonas sísmicas, abrindo mercados internacionais para a Kepler Weber.

     

  • A companhia monitora constantemente as suas exigências de fluxo de caixa e seus níveis de endividamento. Busca otimizar os retornos sobre os investimentos, sendo essa a estratégia adotada para o gerenciamento dos riscos de liquidez, cujo objetivo é o de garantir saldo em tesouraria suficiente para superar sua necessidade de capital de giro operacional e o cumprimento de obrigações financeiras.

Comitê Estratégico de Compliance e Governança Corporativa

O Comitê foi constituído pelo Conselho de Administração, em julho de 2019, em acordo ao princípio do Código Brasileiro de Governança Corporativa para Companhias Abertas, com o propósito de revisar e aprimorar o sistema.

É um órgão permanente, independente e de caráter consultivo no assessoramento ao Conselho de Administração. Com no mínimo três e no máximo cinco membros eleitos, sendo a maioria do CA, o objetivo do Comitê é aprofundar as análises e oferecer subsídios para melhorar a qualidade nos processos de tomada de decisão.

Sua atividade se estende às entidades controladas e tem como responsabilidades: zelar pela governança, pela sustentabilidade, pela ética empresarial e identificar oportunidades de negócios. Como parte desse trabalho, sempre que julgar necessário, o Comitê convida colaboradores internos e consultores para aprofundar, de forma técnica e especializada, os assuntos da pauta.

A criação do Comitê representa um grande passo no amadurecimento da governança na companhia pela delegação formal, com caráter de responsabilidade e autonomia, para a promoção da cultura de gerenciamento de riscos e controles internos. Esta iniciativa da Kepler Weber, que já atua em conformidade legal e elevado senso ético, amplia as ações de caráter preventivo, disseminando o conceito e aumentando ainda mais seus controles.