Estratégia de Negócio > Ecoeficiência em processos

Ecoeficiência em processos

GRI 103-1, 103-2, 201-2, 302-1, 401 -1, 403-2

A Kepler Weber é o maior produtor de sistemas de armazenagem da América Latina e tem capacidade instalada para processamento e industrialização de 100.000 toneladas/ano de aço. A produção segue um sistema de encomendas, a partir de projetos customizados, e a gestão é controlada pelo sistema MRP (Planejamento dos Recursos de Manufatura).

A geração de valor da Kepler Weber está na confiabilidade e excelência, tendo como elemento chave a gestão do prazo de entrega. Assim, a jornada Lean iniciou em 2015 com o propósito de ampliar as soluções sobre uma parte do processo que acarretava implicações comerciais. A criação de indicadores de entrega atrelados à produção foi o ponto de partida de uma grande transformação, que trouxe resultados como o índice de atendimento aos prazos de 76%.

Seguindo essa filosofia de produção, o layout fabril ganhou o formato de minifábricas (células) especializadas por produto para a fabricação em menor tempo. Em 2019, a Kepler Weber alcançou um elevado patamar de eficiência na gestão integrada de produtos e processos por meio dessa jornada. Toda a companhia, da Direção à Operação, está envolvida em um fluxo horizontal de valor, que conta com mais de 50 projetos geridos de forma integrada e acompanhados em uma obeya (termo Lean).

O Road Map mostra as etapas da transformação Lean na Kepler Weber. Cada uma delas foi suportada por indicadores de desempenho associados a projetos e metas. Os avanços na jornada permitiram que, a partir de 2018, o alinhamento estratégico envolvesse também a gestão de pessoas, produtos e marketing.

Road Map da Transformação Lean Kepler Weber

Visão integrada aumenta a ecoeficiência dos processos

GRI 103-3

Para apoiar a gestão de impactos na operação, um sistema complexo foi desenhado pela área de Sistema de Gestão Integrada e Melhoria Contínua, com apoio da Área de Qualidade, além de consultorias especializadas – interna ou externa. Sabe-se que o Lean Manufacturing busca a redução para oito tipos de desperdícios, mas, ao ser integrado a questões econômicas, ambientais e sociais, o contexto da gestão passa a ser a ecoeficiência e os novos indicadores são incorporados na avaliação de desempenho.

Desafios diários para a área de Produção KW


No ambiente dinâmico da indústria, os desafios são diários e os resultados podem apresentar queda, mesmo após um ano de alta elevação. O valor está na resiliência e na capacidade de manter uma política consistente para seguir perseguindo as metas. O PCI (Pedido Complementar Interno), que reflete o percentual de não conformidade percebido na entrega, registou uma queda de 38%, de 2017 para 2018. Em 2019, contudo, não foi possível manter este patamar, levando as equipes a um novo mapeamento para identificar os pontos críticos. Em decorrência, houve inclusão de novos procedimentos para aumentar o controle sobre o processo.

O ponto de inflexão está no acompanhamento dos principais indicadores de cada área dentro de uma visão integrada, visando à ecoeficiência. Na Kepler Weber esta visão é a apoiada pela metodologia Lean. A tabela abaixo mostra o comprometimento da companhia em buscar um desempenho de excelência em todas as dimensões: econômica, social e ambiental. 

INDICADORES DE ECOEFICIÊNCIA
Indicadores de Qualidade 2017 2018 2019
Pedido Complementar Interno (PCI - % sobre a Receita Líquida) 0,50% 0,31% 0,49%
Pedido de atendimento em garantia (PAG - % sobre receita líquida) 1,30% 0,70% 0,58%
Nota Global - avaliação de fornecedores (% com uma Nota Global acima de 85 pontos) 87% 92% 92%
Sucatas (% sobre uma quantidade de kg de produtos) 16% 14% 14%
Indicadores de Produção (Manufatura) 2017 2018 2019
Produtividade Geral (kg / hora x homem) 158,6 167 174,1
Atendimento a ZRs (conformidade de equipamentos)  68% 71% 76%
Absenteísmo 4,4% 3,6% 2,9%
Indicadores socioambientais 2017 2018 2019
Consumo de energia renovável (em GJ) 32.549,89 32.476,16 33.996,29
Rotatividade na área Industrial 28,00% 23,60% 17,12%
TX Frequência de Acidentes  28,6 16,94 17,08
  • A Kepler Weber foi pioneira na adoção do Sistema de Gestão Integrada (SGI), por isso sua adoção já alcançou o nível de maturidade nas operações com três certificações: a ISO 9001:2008 (desde 1997), a ISO 14001:2015 (desde 2012) e a OSHAS 18001: 2008 (desde 2012). Em agosto de 2020, a Kepler Weber realiza a migração para a nova ISO 45001, que substitui a OSHAS 18001.

    Para padronizar os processos, atualmente, a companhia conta com mais de 700 documentos, entre manuais, instruções de trabalho e outros. As certificações têm uma reconhecida contribuição para normatizar os procedimentos no tocante à gestão ambiental, garantia dos direitos e relações éticas para a construção do trabalho digno, assim como no gerenciamento de processos. 

  • Outra mudança implementada foi o redesenho das fábricas, que até 2017 eram divididas por etapas do processo de produção. Em 2018, um novo fluxo foi implementado, replicando o modelo de células de montagem por produto. Com o objetivo de assegurar mais eficiência à gestão ao longo de todo o processo, o projeto piloto foi testado na planta de secadores em Campo Grande (MS) e depois replicado para todas as unidades fabris. Atualmente, este controle contempla toda a fase de produção e a meta é integrá-lo com a logística, incluindo também o processo de embarque das peças.

  • A companhia conta com um sistema digital para manter a sua conformidade no tocante aos mais de 2.000 requisitos legais atendidos. Além disso, o monitoramento dos indicadores estratégicos segue um cronograma mensal, semanal e diário. Na operação, as reuniões ocorrem diariamente e conectam os times de produção de Panambi (RS) e Campo Grande (MS) no início de cada turno para o checking dos indicadores, a fim de revisar o planejamento e/ou identificar ações corretivas. 

    As lideranças realizam encontros semanais, antecipando o volume de demandas e cronograma de produção, dentro de curto e médio prazo. As reuniões mensais para avaliação do progresso fecham o ciclo. Elas ocorrem na sala obeya, um local simbólico e estratégico, pois oferece uma percepção visual da integração de todos os processos e do desempenho de cada área. Este ambiente propício e o modelo de gestão apoiam a definição de prioridades e a tomada de decisão. 

  • Este é um tema gerido de forma transversal dentro da metodologia Lean, sendo incluído nos objetivos macro da organização. Dessa forma, os objetivos em Saúde e Segurança do Trabalho (SST) encontram respaldo nas metas da área de Produção. Esta mede indicadores de absenteísmo e redução de acidentes da mesma forma como mede a produtividade. Veja mais em Gestão em Saúde e Segurança dos Colaboradores